Posts tagged ‘culpa’

abril 4, 2011

Gordinhos e TV

Estava lendo o Blog do Maurício Stycer, onde ele publicou hoje um post chamado “É das gordinhas (e gordinhos) que a TV gosta mais”, falando sobre a quantidade de Reality Shows sobre perda de peso que temos na TV hoje, e sobre o que faz deles um sucesso.
Em paralelo, não vi como foi, mas sei que estreou no Fantástico um novo quadro com os apresentadores do programa onde eles irão mudar suas rotinas e alimentação para perder peso, com a ajuda de um personal. Isso está no texto do Stycer também.
No fim do texto, após citar diversos programas e modalidades de realities, ele fecha da seguinte maneira:
“Todos estes realities apresentam um ponto em comum: perder peso depende de força de vontade, seguida de acompanhamento médico, nutricional e dedicação a exercícios físicos. Não parece haver mistérios na tarefa, mas mesmo assim estes programas se multiplicam.
A obesidade é um problema de saúde, de fato, mas creio que o interesse maior de todos estes realities é a possibilidade que oferece ao público de ver a humilhação e o sofrimento de quem, submetido a regimes de restrição alimentar, se dispõe a fazer isso publicamente.
Em poucos outros casos o aparelho de televisão funciona tão bem quanto espelho como nestes programas.”
Fiquei pensando sobre a questão, e no fim das contas, concordo em boa parte.
A análise do texto é sobre o ponto de vista da audiência do programa, e quanto a isso, realmente acredito que boa parte do sucesso dos programas venha de pessoas que querem rir e se divertir (mesmo que silenciosamente) com a humilhação do estilo de vida dos gordinhos (é só pensar no BBB que acabou e no quanto era mais importante mostrar a gordinha comendo pão perto dos barracos e bafos que aconteciam em paralelo).
Mas e para nós, gordinhos em recuperação?
O que nos leva a assistir isso tudo?
Para mim, esses programas só funcionam pela tortura psicológica que me causam.
Afinal, não me vejo representada por aquelas pessoas e não me sinto estimulada por suas conquistas.
Meu estilo de vida, minha rotina, etc, é tudo muito fora da curva. E eles estão, em quase todos os casos, isolados da vida deles para se dedicar apenas ao programa (sem contar a câmera por cima do ombro, que é um ótimo incentivo a parar e pensar duas vezes antes de enfiar o pé na jaca).
Eu não bebo 2 litros de refrigerante todos os dias, não como 4 sacos de salgadinhos, não sobrevivo só com fritura… Minha mesa da semana não sairia tão horrível quanto aquela do “You are what you eat” que postei aqui.
E o que me faz assistir tudo isso?
É o sentimento de culpa que tudo aquilo traz. Eu não sou assim, nem do lado negativo, nem do positivo. Mas é um choque necessário para reavaliar o que você faz, como você faz e até mesmo o porque.
É aquele frio na barriga de “eu não quero ficar assim”, ou aquele momento inspiracional, a inveja boa.
Depois, você desliga a tv e esquece tudo isso, mas com o tempo, alguma coisa aqui dentro te faz pensar, até mesmo inconscientemente, nas suas escolhas.
E você? Você assiste esses programas? Porque?

 

março 26, 2011

Mea culpa

Nesses dias em que a ansiedade é grande e a comilança maior ainda, minha grande companhia tem sido a culpa e angústia. Culpa por não estar lidando tão bem com as mudanças como eu gostaria, culpa por não estar cuidando bem como eu acho que deveria, culpa por não conseguir dar a atenção que eu deveria das às pessoas que eu tanto amo.

Tenho sido bastante injusta comigo muitas vezes, não me dando o direito de sentir algumas coisas e reagir a elas de uma forma mais saudável, mais producente. Entre os momentos de angústia, a vontade de procurar algum culpado para todas as coisas que estão acontecendo também é latente.

Inspirada pela “Vida Simples”, vou propor um desafio aqui no Blog;

Quais das suas culpas você assumiria?

As minhas:

Linda, assumo que o pão com mortadela (mesmo a mortadela frita no café da manhã), o bolo de chocolate, a linguiça apimentada, nada disso é culpa sua. Culpa minha que não tenho ousado resistir a essas coisas em um momento em que só quero conforto e sensação de aconchego.

Linda, não assumo a culpa por ter que ficar sem você durante 5 (CINCO!) dias da semana. A culpa é toda sua e eu morro de orgulho de você.

Assumo minha culpa sobre a minha insatisfação diante do meu peso e aparência. Sei exatamente o que devo fazer e sou bem cabeça dura e capaz de não ouvir as opiniões alheias e seguir meu próprio nariz em busca de um sonho como esse.

Assumo a culpa por deixar que a loucura alheia me afetasse. Assumo a responsabilidade e sim, vou aguentar as consequências das minhas decisões. Só eu sei o que estava na balança  quando as tomei.

E você, qual a culpa do dia?

Bjos,

Ju

PS: Ah,falando em jogar a culpa no outro, ler as culpas alheias é revigorante! 😉

http://vidasimples.abril.com.br/edicoes/103/grandes_temas/mea-culpa-620000.shtml?282918_comentarios.shtml

%d blogueiros gostam disto: